Saltar navegação. Ir diretamente ao conteúdo principal

Menu terciário

Fim do menu terciário

História

Início do conteúdo principal

O El Corte Inglés herda o seu nome de uma pequena alfaiataria, fundada em 1890, situada entre as ruas Preciados, Cármen e Rompelanzas, em Madrid. Em 1935, Ramón Areces Rodríguez, apoiado pelo seu tio César Rodríguez, compra a alfaiataria, para dar início à sua aventura empresarial.


 

Em 1939, adquirem uma propriedade situada na rua Preciados 3, da qual colocam à venda o rés-do-chão, primeiro andar e parte do segundo andar. Em junho de 1940, quando o negócio contava já com sete funcionários, Ramón Areces constitui a sociedade El Corte Inglés, juntamente com o seu tio César Rodríguez como sócio da empresa.

Entre 1945 e 1946 é levada a cabo a primeira reforma total do edifício; consequentemente a superfície de venda passa a ocupar um total de 2.000 m2 distribuídos em cinco pisos. Deste modo surge a venda por departamentos, típica de um grande armazém. Entre os anos 1953 e 1955 é incorporado o edifício anexo ao número 5 da rua Preciados. Com o passar dos anos são levadas a cabo sucessivas ampliações e modificações com a finalidade de oferecer uma imagem moderna e adequada à procura e às necessidades da sociedade.

A década dos sessenta foi decisiva para o El Corte Inglés, época em que é iniciada a sua expansão pelo território nacional com a inauguração dos centros de Barcelona, Sevilha, Bilbau, etc. Até meados dos anos 90, tem lugar uma fase de forte crescimento do Grupo, marcada pela diversificação da sua atividade comercial, que passa a tomar posições em todos os âmbitos de negócio.

A década dos oitenta foi para o Grupo uma década bastante intensa que culmina com o falecimento de Ramón Areces, a 30 de Julho de 1989. Durante os anos anteriores o presidente tinha começado já a preparar o seu sucessor à presidência, Isidoro Alvarez, que desde 1966 ocupava a posição de conselheiro diretor-geral, posição que lhe tinha permitido obter um profundo conhecimento do Grupo.

Os anos em que Isidoro Álvarez ocupou a presidência foram marcados por um forte crescimento, expansão do negócio e importantes marcos alcançados, tais como a aquisição das Galerias Preciados e Marks&Spencer, o desembarque dos grandes armazéns em Portugal ou a diversificação.

A 14 de Setembro de 2014 falece Isidoro Álvarez. Dois dias mais tarde, a 16 de Setembro, o Conselho de Administração do El Corte Inglés nomeia Dimas Gimeno Álvarez como presidente da empresa. No dia 14 de Junho de 2018, Jesús Nuño de la Rosa é nomeado presidente do Conselho de Administração do El Corte Inglés.

A 10 de Julho de 2019, o Conselho de Administração nomeia Marta Álvarez como presidente.

O ano de 2020 foi condicionado pela situação decorrente do alerta sanitário, que obrigou à cessação de uma parte importante da atividade da empresa. O El Corte Inglés demonstrou a sua capacidade de adaptação e inovação para transformar desafios em oportunidades e dar novo impulso às várias áreas de negócio, evoluindo para um modelo mais alinhado com a digitalização e omnicanal, diversificação e sustentabilidade.

Assim, foi lançada a nova app e o preço fixo El Corte Inglés Plus. Dessa forma, muda a forma de se relacionar com os clientes e abre caminho para uma comunicação mais personalizada com o usuário digital. É também criada a SICOR, a empresa de serviços abrangentes que abrange várias atividades, desde segurança doméstica e alarmes, limpeza e manutenção, entre muitas outras.

A empresa colaborou com as Administrações Públicas em projetos como o centro de vacinação Covid-19 localizado nas instalações do El Corte Inglés em Arapiles (Madrid), que se integrou na rede de centros públicos de vacinação da população em geral e dos colaboradores, estando operacional por três meses.

2021 foi muito significativo para o El Corte Inglés. Um ano em que é possível recuperar o pulso e enfrentar novos projetos com grande potencial futuro, apesar do contexto económico complexo e das dificuldades associadas às restrições devido à pandemia. Os bons resultados permitem desenvolver novas áreas de atuação e estabelecer alianças estratégicas com operadores líderes nos respetivos setores. É firmado um acordo estratégico com o Grupo Mutua, que adquire uma participação de 8% no capital do El Corte Inglés, além de 50,01% do grupo Seguros El Corte Inglés. A liderança no setor do turismo é consolidada após a fusão de Viajes El Corte Inglés e Logitravel, com o objetivo de a empresa se tornar a primeira agência de viagens de língua espanhola. E o El Corte Inglés adquire a rede Sanchez Romero, que ajudará a consolidar a sua posição como líder em supermercados de qualidade.


Fim do conteúdo principal